A pesquisa sobre a Wikipédia na educação: uma entrevista com Robert E. Cummings

Por João Alexandre Peschanski e Célio Costa Filho

A Wikipédia e seus projetos irmãos têm sido alvo cada vez mais frequente de pesquisas científicas. Repositórios acadêmicos, tais como o Google Scholar, chegam a listar centenas de milhares de entradas nas quais a Wikipédia é citada no título de artigos, livros e outras publicações. Tal interesse crescente em estudar os projetos Wikimedia é especialmente perceptível no campo da educação, por exemplo, contando com um número igualmente crescente de estudos de caso sobre os usos educacionais da Wikipédia.

Nesse contexto, Robert E. Cummings, professor de “Redação e Retórica” na Universidade do Mississipi e membro do conselho da fundação Wiki Education, e um conjunto de colaboradores estão preparando o lançamento da Wiki Studies, uma revista científica que é provavelmente a primeira publicação a tratar especificamente sobre a intersecção entre a Wikipédia e o ensino superior, tal como propõe seu lema: “uma revista transdisciplinar, de livre acesso e com revisão de pares que investiga a interface entre a Wikipédia e o ensino superior”. Na última quinzena de julho, Cummings respondeu a perguntas por correio eletrônico sobre a relevância e os objetivos dessa nova revista, bem como temas gerais relacionados às pesquisas acerca dos projetos Wikimedia. O conselho da “Wiki Studies” ainda se encontra em formação e a revista está recebendo trabalhos para a apresentação de sua primeira edição, prevista para março de 2017.

Essa entrevista com Cummings – autor de Lazy Virtues: Teaching Writing in the Age of Wikipedia (2009) – é parte de uma série de entrevistas com pessoas inspiradoras que estão comprometidas com o mote “A Wikipédia pertence à educação”. A primeira pessoa entrevistada desta série foi Juliana Bastos Marques, professora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, uma pioneira Programa de Educação da Wikipédia no Brasil.

NeuroMat (NM): A Wiki Studies se define como um publicação “interdisciplinar, de acesso aberto, avaliada por pares e que trata sobre a intersecção entre a Wikipédia e o ensino superior”. Por que você considera relevante a criação de tal revista no contexto atual?

Robert E. Cummings (RC): Penso que a criação desta revista é relevante, nesse momento, devido ao fato de que a intersecção entre o ensino superior e a Wikipédia ser algo crescente. O fato de o ensino superior se focar na criação e disseminação de um conhecimento previamente avaliado por pares acabou por afastar esse mundo acadêmico da Wikipédia. Além disso, há ainda as questões da Wikipédia em relação à precisão e confiabilidade, a possibilidade de edição por editores que não são especialistas no assunto, bem como seus métodos por vezes contraditórios às práticas comuns do ensino superior. Apesar disso, a academia tem apoiado o uso da Wikipédia na sala de aula. À medida que mais professores descobrem os potenciais de uso da Wikipédia, ela se torna uma oportunidade única de audiência global aos trabalhos dos alunos. Nesse contexto, não apenas os próprios professores, mas também as instituições de ensino são capazes de reconhecer o valor da Wikipédia como um repositório mundial de conhecimento, permitindo uma avaliação das informações nela presentes. Desse modo, uma nova área de pesquisa está se abrindo para o ensino superior, que envolve tanto a pedagogia quanto a epistemologia. Trata-se de uma área ampla e relativamente pouco explorada; ao invés de alocar esses novos estudos em diversas revistas distintas, penso que é importante proporcionar um repositório centralizado para eles.

NM: Estudos sobre Wikipédia são feitos e publicados em locais distintos. Como você espera que a Wiki Studies possa mudar esse contexto?

RC: Acredito que uma mudança possa ocorrer ao menos de duas maneiras. A primeira delas é que vamos oferecer uma plataforma para a pesquisa e a discussão da chamada “wiki pedagogia”. Embora muitos artigos tenham sido publicados até a presente data, eles estão espalhados, e a criação de uma plataforma que possa concentrá-los será um convite aos leitores a fazerem novas observações e alcançar novas conclusões, uma vez que será mais fácil comparar estudos extintos sobre um mesmo tema. Além disso, muitos professores no ensino superior que lidam com a Wikipédia descobrirão que seus estudos podem incentivar pesquisas pedagógicas num nível mais teórico, não relacionado especificamente à Wikipédia. Para esses professores esperamos oferecer uma possibilidade importante de publicação.

NM: Retomando ainda da descrição oficial da revista, menciona-se a expressão “produção social do conhecimento” (social production of knowledge). Você poderia desenvolver essa ideia? Como ela se relaciona com o que vocês chamaram PPCB em sua obra Lazy Virtues?

RC: A produção commonista com revisão entre pares é um fenômeno explorado por Yochai Benkler, notadamente em suas obras “Coase’s Penguin, or Linux and the Nature of the Firm”, “Commons-Based Peer Production and Virtue”, “The Wealth of Networks”, e mais recentemente em “Peer-production, the Commons, and the Nature of the Firm”. Embora eu use a expressão “produção social do conhecimento”, o que eu pretendo é trazer a mesma noção de uma produção commonista com revisão entre pares, criando um ambiente em que os custos e quaisquer outros obstáculos para a partilha do conhecimento sejam atenuados. Dessa maneira, não é apenas a quantidade da produção de conhecimento que aumenta, mas também a variedade, a escala e os gêneros.
Afirma-se em meio às comunidades de cultura livre que o conhecimento é essencialmente um “bem não-rival” (penso em David Wiley, mas sei que ele cita outras fontes). Gostaria de acrescentar também que uma maneira de pensar a Wikipédia seria a de estabelecer uma analogia ao ato de perguntar o caminho até um determinado destino para um desconhecido: para a maioria das pessoas, talvez à exceção dos misantropos, fornecer uma informação àqueles que necessitam de orientação é um prazer. Não há, a princípio, recompensas para essas pessoas a não ser a satisfação de compartilhar um conhecimento em prol do bem comum. Não há uma compensação monetária, reconhecimento público ou algo que possa ser negociado em troca de fama. Assim, essa nova produção social do conhecimento é um fenômeno relativamente novo, já que nenhum economista parece ter sido capaz de prever essa motivação de uma mudança coletiva e substancial no comportamento das pessoas. De fato, essas motivações foram capazes de criar o maior repositório de conhecimento no mundo. E isso me parece algo fascinante.

NM: Dentre os críticos da Wikipédia há nomes relevantes como Noam Chomsky, Umberto Eco e outros. Você espera que esses tenham espaço previsto na Wiki Studies?

RC: A Wikipédia possui inúmeros críticos e eu espero realmente que a Wiki Studies possa abarcar suas ideias. Ninguém que trabalha com Wikipédia pode se permitir não estar ciente de suas inúmeras deficiências. Sem enfrentar especificamente cada uma de suas críticas, parece-me não controverso acreditar que poucas pessoas discordariam com a noção de que um maior compromisso com o ensino superior não seria algo que melhoraria a Wikipédia.

NM: A Wikipédia tem gradualmente conquistado seu lugar como um objeto alvo de estudos acadêmicos. Como você avalia a expansão dos estudos sobre Wikipédia ao longo dos últimos anos?

RC: Eu vejo essa expansão como algo fascinante. Ou melhor, penso que essa expansão ocorra através de uma série de desenvolvimentos, já que cada disciplina acadêmica tende a ver suas próprias preocupações epistemológicas dentro Wikipédia. O caminho de pensar na maioria dos campos de investigação tem funcionado em três fases: (1) Wikipédia é uma fonte (falha); (2) A Wikipédia é uma fonte (falha), mas podemos considerar a possibilidade de contribuir com ela em nossas aulas; (3) Wikipédia é fonte (a preeminente / falha) de conhecimento público, e devemos investir nela como uma contrapartida para o nosso investimento no conhecimento avaliado por pares. Muitos campos de estudo e disciplinas atingiram a terceira fase e agora incentivam a participação na Wikipédia, mas outros campos, no entanto permanecem na primeira etapa.

NM: Qual é a relação entre a Wiki Studies e a fundação que mantém a Wikipédia, a WMF, bem como a Wiki Education e a comunidade dos projetos Wikimedia como um todo?

RC: Não há uma relação formalmente estabelecida entre a Wiki Studies e as duas fundações citadas e a comunidade Wikimedia, muito embora uma relação saudável entre todos seja essencial para o nosso sucesso. A Wiki Education é um patrocinador da Wiki Studies (assim como a Universidade de Mississippi). O patrocínio implica, até o presente momento, em nada além de um entendimento comum sobre a importância desse trabalho. Nós estamos esperando para ter os detalhes a serem oficializados até o final deste ano.

NM: A Wiki Studies adotou uma licença Creative Commons do tipo CC-BY. A Wikipédia e outros projetos semelhantes, no entanto, adotam uma licença do tipo CC-BY-SA. Existe uma razão especial para o uso de uma licença sem o dispositivo de “atribuição sob a mesma licença”?

RC: De modo geral, quanto menos restritiva a licença, maior o benefício para o público. Embora algumas pessoas argumentem que Wikipédia deveria abandonar o dispositivo de “atribuição sob a mesma licença” de sua licença; eu pessoalmente não tenho uma opinião estabelecida sobre essa questão. Para nosso projeto, eu assumi que as regras de citação acadêmica poderiam proporcionar um quadro natural para a exigência de atribuição, e que nós promoveríamos de maneira adequada os princípios do acesso aberto por meio de uma licença CC-BY.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s