Projeto do NeuroMat promove pesquisa e educação sobre lesões do plexo braquial

claudia
Claudia D. Vargas, pesquisadora principal do CEPID. Crédito: NeuroMat/ Wikimedia Commons

Por Karolina Bergamo

O Centro de Pesquisa, Inovação e Disseminação de Neuromatemática (CEPID NeuroMat) lançará em breve uma abordagem multidisciplinar focada em lesões do plexo braquial, denominada Ação NeuroMat para a Lesão do Plexo Braquial (ABRAÇO).

A ABRAÇO faz parte da iniciativa “Plasticidade na Lesão Traumática do Plexo Braquial”, importante projeto da frente de neuro-reabilitação e diagnóstico do eixo de Transferência Tecnológica do CEPID NeuroMat.

Esta iniciativa visa se tornar referência para pacientes, familiares, profissionais de saúde, pesquisadores e educadores interessados neste tipo de lesão, que tem estado em ascensão no Brasil, especialmente devido ao aumento no número de acidentes envolvendo motociclistas.

abraço

Com a participação de médicos, fisioterapeutas, neurocientistas, probabilistas e estatísticos, a iniciativa é liderada por Antonio Galves e Claudia D. Vargas, respectivamente diretor científico e pesquisadora principal do CEPID NeuroMat.

As três áreas de atuação do CEPID NeuroMat se cruzam na ABRAÇO. Em primeiro lugar, este projeto é parte de uma agenda para modelar o funcionamento do cérebro. Segundo, a iniciativa fornecerá recursos que podem ser usados para infor

mar pacientes e familiares, bem como se tornar um canal para acessar ferramentas computacionais para melhorar a pesquisa sobre a lesão do plexo braquial – este segundo aspecto se relaciona com a área de transferência de tecnologia da NeuroMat. Por último, a ABRAÇO pretende ser um ponto de referência para a educação e propagação de materiais de comunicação sobre este tipo de lesão.

O primeiro passo no lançamento da ABRAÇO, que ampliará um esforço contínuo para compreender e ter um impacto nos problemas associados à lesão do plexo braquial, será a criação de um site para a iniciativa. Esta página concentrará os recursos de pesquisa, transferência de tecnologia e disseminação que o NeuroMat produziu, como artigos revisados por pares e vídeos de grande audiência. A página web terá também uma secção para a divulgação de reuniões e palestras organizadas pelo NeuroMat.

Entrevistamos a neurocientista Cláudia Domingues Vargas, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenadora do projeto, para saber mais detalhes sobre a iniciativa. Veja a entrevista na íntegra a seguir.

Como surgiu e quais os objetivos da ABRAÇO?

A iniciativa ABRAÇO foi criada como uma plataforma virtual dentro do NeuroMat para promover interações entre cientistas, pacientes, familiares e profissionais de saúde. O foco principal é a lesão traumática plexo braquial, conjunto de nervos da região do ombro, pescoço e do braço.

Nosso objetivo é servir como um fórum virtual de interação, a nível mundial, com a comunidade interessada nesta temática. Esperamos produzir peças científicas, de transferência de tecnologia e divulgação, de alta qualidade relativas à lesão e seus efeitos no cérebro, bem como diretrizes gerais sobre seu tratamento e reabilitação.

Como esta iniciativa se relaciona com a missão geral do CEDIP NeuroMat?

A missão geral do NeuroMat é desenvolver a nova matemática necessária para construir uma teoria do cérebro que contabilize os dados experimentais completos recolhidos pela pesquisa da neurociência. A iniciativa ABRAÇO é uma plataforma que servirá de fórum para desenvolver plenamente a integração entre produção científica, transferência de tecnologia e disseminação do conhecimento.

Espera-se que a ABRAÇO tenha um impacto nas três principais áreas de atividade do CEPID NeuroMat: investigação, transferência de tecnologia e divulgação. Poderia, por favor, especificar os impactos e resultados esperados em cada uma destas três áreas?

Pretendemos desenvolver experimentos que permitam modelar a plasticidade cerebral após uma lesão do plexo braquial. E os resultados serão expostos à discussão na plataforma. Na frente de transferência de tecnologia, estamos desenvolvendo novos experimentos para investigar a plasticidade cerebral após lesões e novas ferramentas para documentar a lesão através do banco de dados do plexo braquial.

Na área de disseminação, além de fornecer informações sobre a lesão do plexo braquial, pretendemos produzir cartilhas e vídeos dirigidos a pacientes, cuidadores e profissionais de saúde.

Por que é importante lançar a ABRAÇO agora?

A lesão traumática do plexo braquial parece ter se tornado uma grande preocupação de saúde pública no Brasil, geralmente associada a acidentes de moto. É uma lesão frequentemente associada a esses acidentes e, consequentemente, aumentou consideravelmente nos últimos 20 anos.

Quais são os principais desafios para superar a preocupação de saúde pública associada à lesão traumática do plexo braquial? À luz dessa preocupação, por que você acha que uma iniciativa como a que você está liderando é importante?

Do ponto de vista clínico, o principal desafio é desenvolver e disponibilizar ferramentas para diagnóstico precoce e manejo dessa condição de saúde. A iniciativa ABRAÇO atuará nesta frente desenvolvendo e fornecendo ferramentas educacionais sobre a lesão, bem como o prognóstico da condição de saúde.

Do ponto de vista científico, os mecanismos subjacentes à dor e à disfunção sensório-motora após uma lesão do plexo braquial ainda são fenomenológicos, puramente descritivos e, portanto, têm um mau nível preditivo. Dentro NeuroMat vamos abordar esta questão através do desenvolvimento de modelos matemáticos de plasticidade cerebral após a lesão do plexo braquial.

O CEPID NeuroMat já estabeleceu uma iniciativa sobre a doença de Parkinson (Amparo). De que maneira ABRAÇO e Amparo se relacionam? Como elas diferem?

Trata-se de patologias que interferem na organização do sistema nervoso central e, portanto, são desafios científicos. A necessidade de novos modelos de reorganização cerebral em neuromatemática é um ponto comum.

Ao contrário da doença de Parkinson, que tem um alcance mais amplo a nível mundial e, portanto, já tem metade do caminho em termos de relevância social, a lesão do plexo braquial é muitas vezes um problema de saúde negligenciado.

Você poderia fornecer uma descrição da equipe que faz parte desta iniciativa?

A equipe é composta por médicos, fisioterapeutas, estatísticos, probabilistas, cientistas da tecnologia da informação, neurocientistas, psicólogos. Muitos dos jovens membros da equipe também são estudantes de pós-graduação no laboratório.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s