Cursos abertos e as novas tecnologias no ensino

PVUSD_student_using_GoogleApps
Estudante navega em site de ensino à distância / Jeff Billings CC BY-SA 3.0

Uma modalidade de ensino à distância, os cursos online aberto e massivo (MOOCs) estão cada vez mais populares. Há quem faça e há quem procure, embora a desistência ou a interrupção sejam frequentes. Os cursos podem apresentar o conteúdo textualmente, com imagens e vídeos, cada qual com seus formatos. Um texto corrido é diferente de um construído em tópicos ou slides, assim como uma entrevista em vídeo com um especialista é diferente de um vlog, por exemplo. Por efeito, o aluno se interessa e apreende mais por um meio do que por outro. Encontrar uma linguagem que envolva e ensine é um desafio da criação de um curso online de jornalismo científico pelo NeuroMat.

Continue Lendo “Cursos abertos e as novas tecnologias no ensino”

Anúncios

Revista Pesquisa FAPESP: Produção científica acessível

*Por Fabrício Marques

O Brasil se destaca no panorama internacional do acesso aberto, movimento lançado no início dos anos 2000 com o objetivo de tornar a produção científica disponível on-line e sem custo para os leitores. Segundo dados compilados pelo grupo de pesquisa espanhol Scimago, 33,5% dos artigos de autores brasileiros indexados na base de dados Scopus em 2016 foram divulgados em periódicos que oferecem livremente para leitura na web todo o seu conteúdo assim que ele é publicado, num modelo conhecido como “via dourada”. Trata-se da maior proporção entre as 15 nações com maior volume de produção científica cadastrada na Scopus. O país também se distingue no ranking das nações com maior número de periódicos científicos de acesso aberto (ver quadros).

Continue Lendo “Revista Pesquisa FAPESP: Produção científica acessível”

Revista Pesquisa FAPESP: Desafios globais da divulgação científica

*Por Patricia Santos

Compartilhar e explicar para públicos variados os avanços científicos que surgem cotidianamente nas diversas áreas do conhecimento são desafios comuns a cientistas e comunicadores de todo o mundo. A dificuldade em conseguir financiamento para essas atividades também. Para apresentar e debater experiências de divulgação, a União Europeia financiou por meio do programa Erasmus+ um evento de formação de divulgadores científicos. Realizado entre 3 e 12 de julho na cidade de Maratona, na Grécia, o STEAM Summer School resulta de parceria entre as universidades de Malta (República de Malta), Haag-Helia (Finlândia), Rhine-Waal (Alemanha), Edimburgo (Escócia), Associação Helênica de Jornalistas de Ciência Science View (Grécia) e a União Europeia de Associações de Jornalistas de Ciência.

Continue Lendo “Revista Pesquisa FAPESP: Desafios globais da divulgação científica”

Estudantes editores e Prêmios Nobel

Por Ian Ramjohn*

Na segunda-feira de manhã, saiu a notícia de que o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2017 havia sido concedido a Jeffrey C. Hall, Michael Rosbash e Michael W. Young. Cientistas raramente são bem conhecidos pelo público e estes não estavam entre os favoritos para ganhar o Nobel. Se você correu para a Wikipédia em inglês para descobrir quem são, encontrou biografias bem escritas que fornecem uma visão geral de suas carreiras acadêmicas e, o mais importante, discutem a importância de suas pesquisas. Se não fosse por estudantes dos programas da Wiki Education Foundation, no entanto, você teria se decepcionado.

Continue Lendo “Estudantes editores e Prêmios Nobel”