Como funciona a categorização interna das obras do Museu do Ipiranga

Graças a uma parceria, o NeuroMat desenvolve um projeto que pretende carregar todo o acervo do Museu Paulista da USP no Commons, a plataforma multimídia dos projetos Wiki. Para alcançar este objetivo, a equipe atuante utiliza o Icono, o banco de dados do Ipiranga e do Museu Republicano.

O Icono deposita os dados de todos os itens das duas instituições, funcionando como uma plataforma de consulta e armazenamento. Dentro dele, estão as informações tanto dos objetos, como dos itens iconográficos (as pinturas, mapas e fotografias).

No seu interior, na parte utilizada tanto pelos funcionários, como pela equipe do NeuroMat, a plataforma é dividida em seções, ou seja, cada objeto aparece em uma tela com cinco subdivisões. São elas:

  • Resumo
    Nesta primeira seção, a plataforma só exibe um apanhado das informações mais importantes sobre o objeto, que estão guardadas nas partes seguintes. É uma prévia para que o funcionário ou pesquisador saiba, antecipadamente, o que aquele item em questão oferece.
  • Descritores
    A segunda parte, a mais importante, exibe os dados mais básicos do objeto. No caso de uma pintura, por exemplo, mostra seu título, autor, dimensões, técnica e a data de criação. Pode oferecer, também, um pequeno texto explicativo ou histórico.
  • Pesquisa
    A terceira parte também é essencial, porque é que guarda os dados de identificação e pesquisa. Nela, existem dados históricos e bibliográficos do item, assim como as palavras-chave — termos que a instituição utiliza para categorizar e identificar o que aparece na obra. A pintura Fundação de São Vicente, de Benedito Calixto, por exemplo, conta com as palavras “índio”, “caravela”, “cocar”, entre outras, porque são os termos que descrevem os detalhes representados no quadro.
FUNDAÇÃO DE SÃO VICENTE_JESUS, BENEDITO CALIXTO DE
Quadro “Fundação de São Vicente”, de Benedito Calixto (Crédito: Wikimedia Commons / Domínio Público / Acervo do Museu Paulista da USP)
  • Galeria
    Nesta página, a plataforma oferece a visualização de várias imagens do mesmo objeto. Geralmente, mostrando todos os seus ângulos ou componentes — no caso de um item que contém vários elementos, como um jogo de chá ou um conjunto de moedas. Eventualmente, as fotos também exibem partes que estão com defeitos ou precisando de restauro.
  • Inventário
    A última subdivisão é a que guarda os dados mais técnicos, referentes à numeração interna do museu. Também é a que guarda todos os termos utilizados nas palavras-chave, que aparecem na parte de pesquisa.

Para a equipe NeuroMat, os dados mais importantes são aqueles que ficam nas partes um e três. Porém, eventualmente, as demais informações são importantes para outras atividades, como na tentativa de identificar pintores, os seus nomes exatos e se as suas obras estão em domínio público ou não.

Além disso, vale a pena explicar como funciona a numeração das obras. Peguemos o item mais famoso do Museu, o quadro Independência ou Morte, de Pedro Américo. O número de acervo desta pintura é: 1-19158-0000-0000. O primeiro “1” serve para identificar a localização do item e refere-se ao Museu Paulista. Todas os objetos do edifício começam com este algoritmo. Caso iniciasse com o 2, seria um elemento da coleção do Museu Republicano.

Mello,_Pedro_Américo_de_Figueiredo_e_-_Independência_ou_Morte_(cropped)
Independência ou Morte, por Pedro Américo (Crédito: Wikimedia Commons / Domínio Público / Acervo do Museu Paulista da USP)

Em seguida, a numeração estabelece a “classe” desse objeto, ou seja, se é uma pintura, moeda, vestimenta, móvel, etc. Depois, o algarismo estabelece a coleção (a do quadro Independência ou Morte, por exemplo, é a do Fundo do Museu Paulista). Por fim, enumera a sua subclasse.

Finalmente, é importante destacar que o Icono guarda dados e até algumas imagens. Porém, para os arquivos em alta qualidade ou sem marcas d’água, é necessário recorrer à rede da instituição, a qual somente os funcionários e pessoas autorizadas têm acesso. É exatamente nesse ponto que a equipe NeuroMat também atua mais ativamente e estabelece a parceria.

Saiba mais sobre o trabalho da equipe a partir deste programa neste post.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s