Publicação do vídeo “Meet NeuroMat Researcher: Arthur Valencio”

*Por Thais May Carvalho

Acaba de ser publicado no YouTube o vídeo “Meet NeuroMat Researcher: Arthur Valencio”. Esse é o terceiro vídeo da série, que conta com a participação de vários outros pesquisadores que integram o grupo do CEPID NeuroMat.

Arthur é pós-doutorando na Universidade de Campinas, sob a orientação da professor Jorge Stolfi, e desenvolve sua pesquisa dentro do NeuroMat há um ano e meio. Desde 2019, ele também trabalha em parceria com o Hospital das Clínicas.

O seu campo de estudo está relacionado com a doença de Parkinson, pois ele quer verificar como se dá a comunicação entre as partes do cérebro em pessoas que tiveram um eletrodo implantado para diminuir os tremores relacionados à doença.

Nesse vídeo de quatro minutos, Arthur irá falar sobre que partes do cérebro são afetados pelo Parkinson, como é o seu protocolo experimental e os resultados preliminares a partir do que já foi coletado.

Publicação do vídeo “Meet NeuroMat Researcher: Fernanda Torres”

*Por Thais May Carvalho

Acaba de ser publicado no YouTube o vídeo “Meet NeuroMat Researcher: Fernanda Torres”. Esse é o segundo vídeo da série, que conta com a participação de vários outros pesquisadores que integram o grupo do CEPID NeuroMat.

Fernanda é doutoranda do Programa de Fisiologia do IBCCF/UFRJ, sob a orientação da professora Cláudia Vargas. Ela também é integrante da equipe ABRAÇO, que fica sediada no Rio de Janeiro. Lá, os pesquisadores trabalham com estudos relacionados à lesão do plexo braquial.

Dentro desse campo, Fernanda faz sua pesquisa voltada para entender como funciona a comunicação cerebral nas pessoas com que sofreram a lesão do plexo braquial (comparando com aquelas que não tem a lesão). Mais especificamente, ela vê como acontece a comunicação no momento em que há uma entrada sensorial e uma resposta motora.

Nesse vídeo de quatro minutos, Fernanda irá falar sobre a hipótese da sua pesquisa, o experimento que utiliza o equipamento de estimulação magnética transcraniana e a utilização do InVesalius (um software livre criado pela equipe do NeuroMat).

Para produzir esse vídeo, um dos integrantes da área de difusão científica do NeuroMat viajou até o Rio de Janeiro, onde visitou o Instituto de Neurologia Deolindo Couto e conheceu os pesquisadores da equipe ABRAÇO.

INTO e INDC: uma viagem pela lesão do plexo braquial

Por Matheus Cornely Sayão

No dia 2 de Setembro, fui em missão científica para o Rio de Janeiro conhecer o trabalho que vem sendo feito pelos membros da iniciativa ABRAÇO dentro do Instituto de Neurologia Deolindo Couto (INDC) e no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO). O objetivo da viagem foi tanto produzir conteúdos noticiosos sobre os membros da equipe quanto construir uma integração melhor entre os pesquisadores ligados à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a difusão científica do CEPID NeuroMat.

Ao longo dos 4 dias que passei no Rio de Janeiro, entrevistei 5 pesquisadores no INDC, em que coletei material para a produção de cinco vídeos institucionais para a iniciativa ABRAÇO. Nos vídeos, os pesquisadores descrevem seu trabalho, os espaços de coleta dos dados utilizados nas suas pesquisas e quais os problemas científicos que pretendem responder ou clarificar.

Nas visitas ao INTO, pude conversar com quase toda a equipe que trabalha com a lesão do plexo braquial: fisioterapeutas, cirurgiões, psicólogos. Infelizmente, durante o pouco tempo que tive, não foi possível entrevistar as pessoas que participam da assistência social. Foram tiradas fotos e feitas entrevistas individuais e coletivas com os membros da equipe. Além disso, foi possível acompanhar em primeira pessoa como se dá a reabilitação dos pacientes com lesão do plexo braquial dentro da sala de fisioterapia do INTO.

Durante a experiência, pude conversar com diversos pacientes com LTPB, escutar suas histórias de vida, conversar sobre as dificuldades com o tratamento e suas esperanças pessoais com o rumo da reabilitação. A passagem pelo Rio de Janeiro foi engrandecedora por ter me aproximado mais da totalidade do tratamento da LTPB, tomado consciência de toda a multidisciplinaridade que envolve a reabilitação de quem passou e ainda passa pela lesão e pela integração com o corpo de pesquisadores que estudam a lesão.

Como resultado da viagem, um conjunto de vídeos e de matérias será publicado ao longo dos próximos meses. O primeiro vídeo, sobre o pesquisador Luiggi Lustosa e sua pesquisa em cinemática, está dispobilizado no Youtube.

Publicação do vídeo “Meet NeuroMat Researcher: Luiggi Lustosa”

*Por Thais May Carvalho

Acaba de ser publicado no YouTube o vídeo “Meet NeuroMat Researcher: Luiggi Lustosa”. Esse é o primeiro vídeo da série, que contará com a participação de vários outros pesquisadores que integram o grupo do CEPID NeuroMat.

Luiggi é doutorando do Programa de Fisiologia do IBCCF/UFRJ, sob a orientação da professora Cláudia Vargas. Ele também é integrante da equipe ABRAÇO, que fica sediada no Rio de Janeiro. Lá, os pesquisadores trabalham com estudos relacionados à lesão do plexo braquial.

Dentro desse campo, Luiggi faz sua pesquisa na área da cinemática, que consiste, basicamente, no estudo sobre os movimentos dos corpos. Ele utiliza essa técnica para tentar compreender as consequências motoras da lesão do plexo braquial.

Nesse vídeo de três minutos e meio, Luiggi irá falar um pouco mais sobre o conceito da cinemática e os experimentos relacionados ao movimento que eles fazem com o auxílio de câmeras de infravermelho.

Para produzir esse vídeo, um dos integrantes da área de difusão científica do NeuroMat viajou até o Rio de Janeiro, onde visitou o Instituto de Neurologia Deolindo Couto e conheceu os pesquisadores da equipe ABRAÇO.