Newsletter de dezembro na Wikimedia Outreach

* Por Giovanna Fontenelle

No mês de dezembro de 2018, produzi um relato publicado como uma newsletter na plataforma Wikimedia Outreach. Neste artigo, descrevi o trabalho desenvolvido pelo Google, o Google Arts & Culture, na Pinacoteca do Estado de São Paulo e no Museu Paulista da USP e como este projeto se alinha e é reaproveitado pelo GLAM-Wiki desta segunda instituição. 

Ambas as iniciativas são discutidas nos meus artigos acadêmicos, desenvolvidos no contexto da bolsa de Jornalismo Científico no CEPID NeuroMat, sobre “Novas Mídias na Construção de Projetos Museológicos”: o “A obra de arte na era das convergências digitais” e “Os acervos na era das convergências digitais”.

Na newsletter, em primeiro lugar, abordei as particularidades do site, as suas ramificações e ferramentas, como o gigapixel e o Street View. Em seguida, utilizei o exemplo da Pinacoteca como um caso ilustrativo na plataforma com relação ao Brasil.

Em seguida, falei sobre a questão do reaproveitamento das obras em gigapixel pelo GLAM do Museu Paulista no Commons.

Para ver a publicação na íntegra, acesse este link.

Anúncios

O artigo submetido à Revista Acervo

* Por Giovanna Fontenelle

Entre os meses de novembro e dezembro, submeti uma proposta de artigo a ser publicado na Revista ACERVO, do Arquivo Nacional, como um dos requisitos da minha bolsa de Jornalismo Científico no CEPID NeuroMat. Até o momento, o trabalho está sob a avaliação da publicação.

Neste artigo, intitulado “Os acervos na era das convergências digitais”, além de abordar a questão das obras de arte na era da convergência digital, também se discute o caso de duas instituições nas iniciativas Google Arts & Culture (ou GAP) e GLAM-Wiki. O intuito, ao mostrar dois casos, é ajudar a ilustrar e exemplificar o processo desenvolvidos por ambos os agregadores de conteúdo de uma maneira mais clara.

Com relação à primeira iniciativa, a do Google, foi utilizado o caso da Pinacoteca do Estado de São Paulo. No artigo, aborda-se o processo de carregamento e exposição no site das obras utilizadas nessa parceria, além do processo de produção do recurso de Street View dentro do museu e a produção das imagens em gigapixel, através da Art Camera. 

Já com relação à segunda iniciativa, a da Wikipédia, foi utilizado o caso do Arquivo Nacional. No artigo, discutiu-se todos os detalhes das cinco etapas de carregamento on-wiki, feitos através do Wikiprojeto estabelecido com a instituição, desde o seu momento inicial. Também abordou-se as diferenças entre as plataformas Wikimedia e a grande difusão dessa mídias, as visualizações na casa dos milhões mensalmente.

Radiografia das retratações no mundo

Lançado em 2010 pelos jornalistas norte-americanos especializados em ciência Adam Marcus e Ivan Oransky, o site Retraction Watch tornou-se uma fonte de informação sobre a ocorrência de casos de má conduta científica no mundo. Sua especialidade são as retratações de artigos científicos, ou seja, o cancelamento de papers após a publicação devido à descoberta de fraudes ou erros. A novidade é que o acervo de informações do site começa a abastecer estudos sobre a correção da literatura científica. Um artigo publicado em janeiro na revista Scientometrics analisou 1.623 retratações divulgadas entre 2013 e 2015 com base em parâmetros como país de origem, área do conhecimento e causa da retratação. O trabalho foi coordenado por Sonia Vasconcelos, pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em coautoria com sua aluna de mestrado Mariana Ribeiro no Programa de Educação, Gestão e Difusão em Biociências do Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo de Meis.

Continue Lendo “Radiografia das retratações no mundo”

Novas ferramentas poderosas de pesquisa ajudam a editar patrulheiros a encontrar seus objetivos

Bullseye_dart
(foto: Wikimedia Commons )

 

 

Por Joe Matazzoni, Wikimedia Foundation  10 de maio de 2017 

Fato um: editores humanos fizeram cerca de 15 milhões de edições para os wikis em março – quase meio milhão de edições por dia. Se cada uma dessas edições tivesse apenas 10 segundos para revisar, verificando as mudanças de um dia exigiria 1.344 horas, ou 168 dias de trabalho de oito horas. Continue Lendo “Novas ferramentas poderosas de pesquisa ajudam a editar patrulheiros a encontrar seus objetivos”

Cacareco: a história por trás da exposição MAV-USP

cacareco
(foto: divulgação)

Por Lucas Nascimento

Neste último post da série A história por trás da exposição MAV-USP vamos falar um pouco da história de alcance internacional e de ênfase política do rinoceronte fêmea Cacareco e de seus despojos que estão atualmente em exposição no Museu de Anatomia Veterinária Prof Dr Plinio Pinto e Silva da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (MAV), sendo um dos exemplares mais antigos do acervo do museu, onde estão preservados e expostos para fins educativos.

Continue Lendo “Cacareco: a história por trás da exposição MAV-USP”

Nandu: a história por trás da exposição do MAV/USP

640px-Orca_skeleton_(Nandu_orca)_02

Por Lucas Nascimento


Neste segundo post da série
A história por trás da exposição MAV-USP, contaremos um pouco da história da orca Nandu, cujo esqueleto está em exposição no Museu de Anatomia Veterinária da USP.

Continue Lendo “Nandu: a história por trás da exposição do MAV/USP”

Teteia: A história por trás da exposição MAV-USP

Hippopotamus_skull_(Teteia_Hippo)_01
Crânio do Hipopótamo Teteia disponível no Museu de Anatomia Veterinária da USP (foto: Wikimedia Commons)

 

Por Lucas Nascimento

Ao visitar o Museu de Anatomia Veterinária Prof Dr Plinio Pinto e Silva da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (MAV), que fica localizado no campus Butantã, é possível encontrar peças de animais que tiveram histórias interessantes, fazendo de uma simples ida ao museu uma experiência única e enriquecedora. Numa pequena série de três posts sobre A história por trás da exposição MAV-USP vamos falar um pouco da história de três animais que integram o acervo do museu: a hipopótamo Teteia, a orca Nandu e o rinoceronte Cacareco.

Continue Lendo “Teteia: A história por trás da exposição MAV-USP”