NeuroMat disponibiliza fotografias de São Paulo tiradas por Guilherme Gaensly

* Por Giovanna Fontenelle

A primeira etapa na parceria do Museu Paulista com o NeuroMat em 2018 foi o carregamento de 138 imagens do fotógrafo Guilherme Gaensly no Commons, a plataforma multimídia dos projetos Wiki. Estes arquivos pertenciam ao acervo da instituição e já estavam em domínio público há 20 anos.

Continue Lendo “NeuroMat disponibiliza fotografias de São Paulo tiradas por Guilherme Gaensly”

Anúncios

Novas Mídias na Construção de Projetos Museológicos: o novo projeto do NeuroMat

Giovanna está em pé, em frente a uma lousa digital, onde está um slide com o título de seu projeto: "novas mídias na construção de projeto museológicos"
Giovanna Fontenelle apresentando o seu projeto de pesquisa no NeuroMat (Crédito: Wikimedia Commons/Joalpe – Own work, CC BY-SA 4.0)

Por Giovanna Fontenelle

Olá,

Meu nome é Giovanna Fontenelle, sou jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero em 2017 e estudante de História na Universidade de São Paulo. Em fevereiro, integrei a equipe de difusão científica do NeuroMat com o intuito de atuar na digitalização dos acervos de museus ou exposições.

Este trabalho é composto de duas fases: o upload de imagens no Wikimedia Commons e a melhorias dos verbetes no Wikipédia sobre obras de arte. Especialmente, no momento, estou atuando com o conteúdo relacionado ao Museu Paulista.

A intenção das minhas atividades práticas é promover a melhoria da educação através da Arte, principalmente por meio de obras que relatam acontecimentos históricos. O Novas Mídias na Construção de Projetos Museológicos, meu projeto teórico, por outro lado, vai mais longe e pretende discutir o papel da museologia e da difusão da obra de arte na internet e na web 2.0, quando a reprodução e o compartilhamento são livres e acessíveis de qualquer lugar.

Ainda no nível teórico, o meu artigo descreverá e comparará duas plataformas que atuam constantemente com este intuito: o Google Art Project, o site do Google que oferece visitas virtuais a diversos museus pelo mundo; e o GLAM, projeto Wiki que ajuda a melhorar os temas relacionados à arte no site, através de parcerias com museus e outras instituições. Como um estudo de caso, usaremos o trabalho realizado pelas duas plataformas no Museu Paulista.

As minhas atividades contam com a supervisão dos professores Fernando da Paixão e João Alexandre Peschanski. São elas:

Atividades práticas

  1. Auxiliar na digitalização do acervo de exposições, galerias e museus parceiros do NeuroMat. O objetivo é coordenar mensalmente o carregamento de cinquenta itens do CEPID NeuroMat na plataforma Wikimedia Commons e quando pertinente coordenar o carregamento de metadados associados na plataforma Wikidata;
  2. Participar da promoção e registro de pelo menos duas reuniões vinculadas ao projeto de exposição do CEPID NeuroMat;
  3. Manter um espaço de controle de conteúdo museológico de interesse ao CEPID NeuroMat, com o objetivo de ter uma página na internet para centralizar os esforços na área de exposição do CEPID NeuroMat;
  4. Publicar um artigo em um meio de comunicação de público amplo sobre a importância da plataforma Wiki ou novas mídias de modo mais geral para a difusão de conhecimento e digitalização de acervos de galerias, arquivos e museus;
  5. Manter com pelo menos uma postagem por semana o blog “Traço de Ciência”, sobre difusão científica do NeuroMat, em língua portuguesa.

Atividades teóricas

  1. Elaboração de um artigo de pesquisa sobre iniciativas GLAM, em vista de uma publicação acadêmica a ser submetida no contexto da bolsa;
  2. Produção de um artigo de pesquisa sobre novas mídias e museologia, em vista de uma publicação acadêmica a ser submetida no contexto da bolsa;
  3. Composição de um relato de experiência da atividade da bolsa, a ser eventualmente elaborado e submetido com a renovação da bolsa por mais seis meses;
  4. Acompanhamento de formação em difusão científica em especial com a realização de um Curso de Introdução ao Jornalismo Científico e de um programa de estudo específico elaborado pelo supervisor científico.

A minha primeira aproximação ativa com a Wikipédia foi através das aulas do professor Peschanski, no meu terceiro ano de graduação em Jornalismo, na disciplina de Ciência Política. Este contato ocorreu devido a um trabalho do curso em que os alunos precisavam contribuir com edições sobre patrimônios históricos na cidade de São Paulo. Neste projeto, o verbete que produzi foi sobre o Conjunto das Antigas Instalações da Escola Politécnica.

Durante o trabalho, me interessei bastante pela discussão em torno das tecnologias 2.0, em especial o aspecto colaborativo, de remix. Este interesse me levou a participar de eventos do NeuroMat, como o Treinamento em Difusão Científica em Web 2.0.

Como avançar no uso da imagem dentro da difusão científica?

red-2191601_1280

Por Giulia Ebohon

Em seus estudos sobre a Imagem Complexa, Josep M. Català afirma ser necessário para a prática científica superar o uso utilitário da imagem para que se possa acessar todo o potencial que ela tem a oferecer na contemporaneidade.  O professor sugere que pensemos com a imagem, ao invés de recorrer a ela para ilustrar um conhecimento expresso por elementos textuais.

Mas como avançar no uso da imagem dentro da difusão científica? Como conseguir representar territórios muito específicos – como o da neuromatemática – de uma forma acessível porém não ilustrativa? Quais são os obstáculos que se colocam ao tentar representar de maneira visual um conhecimento consolidado por meio do texto?

Essas são algumas perguntas que me acompanharam durante a criação dos vídeos desenvolvidos dentro do projeto Neuromatemática Representada e que estão incorporadas no seu resultado final – ainda que em muitos casos a imagem ilustrativa ainda dê o tom das representações.

O vídeo sobre os impactos da Lesão do Plexo Braquial na Plasticidade Cerebral foi o que apresentou mais concretamente os desafios de representar uma pesquisa acadêmica seguindo os preceitos da imagem complexa de Català. A princípio, procuramos nos distanciar de desenhos literais e ilustrativos, não somente pelos riscos de retratar de forma equivocada os elementos presentes do artigo, mas justamente buscando construir uma representação com complexidade.

Nesse processo de criação do roteiro e de tentativas de representações por meio de elementos abstratos, como as linhas, encontramos uma dificuldade substancial em construir uma representação interativa e não mimética que, ao mesmo tempo,  permitisse que pessoas leigas compreendessem o conteúdo do estudo. Català é categórico ao afirmar que a imagem complexa é potencialmente didática e era justamente essa vocação que gostaríamos de explorar

Ainda assim, as linhas trouxeram muitas limitações para atingir esse objetivo. Parecia necessário utilizar elementos familiares para a representação, já que muitos conceitos presentes no texto não eram conhecidos. Depois de reformular o roteiro, optamos por fazer representações com analogias, então o cérebro foi representado como uma árvore, os nervos como troncos, e assim por diante. Nessa nova tomada de decisões, algumas questões ficaram em aberto: não estaríamos priorizando a simplificação ao invés de uma representação complexa? Ou, recorrer à analogias compromete o caráter complexo da representação?

Considerando todas as reflexões que envolveram o processo de criação do vídeo, penso que os obstáculos que se colocaram nesse caminho são coerentes com as limitações que o método científico impõe às representações visuais. Ao afirmar que a prática científica deveria incorporar em seu método a imagem complexa, Català sugere a construção de uma outra visualidade científica. Portanto, embora haja na produção dos vídeos, um esforço para ultrapassar as fronteiras da imagem tradicionalmente utilizada na ciência, é intuitivo pensar que para atingir de fato sua potencialidade didática a imagem já deve estar incorporada na formulação do conhecimento, e não ser requisitada apenas na sua etapa de difusão.

Pesquisa sobre Lesão do Plexo Braquial ganha vídeo

Unknown

Por Giulia Ebohon

Mais um vídeo da pesquisa Neuromatemática Representada foi finalizado e, dessa vez, traz como referência uma pesquisa coordenada pela profa Cláudia Vargas sobre os impactos da lesão do plexo braquial na plasticidade cerebral. A experimentação foi palavra chave no processo de construção desse material. Escolhas estéticas foram renovadas e repensadas a medida em que desafios de representação visual foram se materializando pelo caminho.

A princípio decidimos representar o artigo por meio de linhas e formas abstratas. Contudo, uma vez finalizada as gravações, percebemos que essa escolha – embora indicasse uma aproximação à ideia de complexidade visual –  atrapalhava a compreensão sobre o conteúdo. Depois de reformular o roteiro, de modo a tornar sua linguagem ainda mais acessível, optamos por outra forma de representação, que se apoiava em imagens conhecidas e que dialogam facilmente com um público leigo.

O processo de desenvolvimento desse vídeo, particularmente, revelou alguns dos obstáculos que se colocam ao buscar ultrapassar o uso convencional da imagem dentro da representação científica. Como incorporar a imagem nas práticas da ciência utilizando todo o potencial que ela representa na contemporaneidade? Essa e outras dúvidas passaram e permaneceram após esse processo criativo e reflexivo de difundir um material produzido no território da ciência para acesso da população.

 

 

Integrando os MOOCs à Wikiversidade lusófona

Wikiversity-logo-ptA Wikiversidade é um dos projetos da Fundação Wikimedia e que tem como objetivo ser um ambiente aberto para a criação e execução de cursos numa plataforma colaborativa wiki, oferecendo assim um ambiente para a alocação de cursos à distância. Entretanto, o layout padrão do Mediawiki (o programa no qual tanto a Wikipédia quanto a Wikipédia funcionam) não é capaz de, sozinho, dar conta de modo eficiente de algumas das necessidades comuns desse tipo de curso. O que nós percebemos e que atraiu nossa atenção aqui no NeuroMat foi o fato de que a a Wikiversidade anglófona (Wikiversity) oferecia um modelo mais dinâmico e interativo, focado na implementação dos famosos MOOCs (em português, Curso Online Aberto e Massivo) dentro do ambiente wiki.

Vocês podem ter uma visão geral do layout da página MOOC clicando aqui.

Continue Lendo “Integrando os MOOCs à Wikiversidade lusófona”

Linhas em mãos, câmera em ação

Unknown-1

Por: Giulia Ebohon

Com o roteiro em mãos e o esboço dos desenhos prontos, a próxima etapa para a produção do vídeo Plasticidade Cortical Pós Lesão do Plexo Braquial foi a gravação do vídeo. Assim como nas outras produções, utilizamos a técnica time-lapse que dá um efeito acelerado às imagens.

Continue Lendo “Linhas em mãos, câmera em ação”

Combinando vídeos com matemática: ilustrando conceitos matemáticos no Brasil

Um produto vale agora 40% do preço original, mas qual era o preço original? Se uma doença tem afetado 10% da população, quantas pessoas dentre 100 foram afetadas? Quanto é 50% de 120?

Essas são questões similares àquelas perguntadas em estudos transnacionais que avaliam a alfabetização matemática, e elas  mostram que o Brasil está nas piores colocações. Pesquisas nacionais e transnacionais recentes como o Programa de Avaliação Internacional de Estudantes da OCDE mostram que o nível de entendimento matemático no país tem diminuído nos últimos dez anos. Esse cenário é especialmente grave, já que no meio de uma crise econômica, os governos em todas as eferas têm optado por cortar gastos em educação.

Na condição de voluntários da Wikimedia, nós acreditamos que podemos ter algum impacto nessa inumeracia generalizada que ocorre em nosso país. Com co-coordenação da equipe de difusão do CEPID NeuroMat, o Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil trabalhou para mudar esse cenário através de duas abordagens principais: melhorar o conteúdo escrito na Wikipédia e ilustrar esse conteúdo com mídia de alta qualidade.

Continue Lendo “Combinando vídeos com matemática: ilustrando conceitos matemáticos no Brasil”