Estatística de redes sociais

*Por Miréia Figueiredo

Nessa semana, finalizei a escrita do conteúdo de mais uma aula do módulo 4. Temas Centrais da Ciência Contemporânea. Dessa vez, a aula era sobre Redes sociais e foi baseada na apresentação de Antonio Galves em um dos episódios do Faísca NeuroMat.

A partir da construção de um modelo matemático, o conteúdo explica como acontece a formação da opinião pública nas redes sociais. Como os agentes se influenciam mutuamente durante esse processo e como a ação de robôs têm afetado na construção dessa opinião. Para isso, são selecionados alguns estudos de caso referentes às eleições de 2018.

As eleições são usadas como exemplo justamente por terem apresentado resultados inesperados. Em mais de uma situação, candidatos que não lideravam as pesquisas de intenção de voto acabaram sendo eleitos.

Em uma sociedade democrática, é normal que haja flutuações na opinião pública. Mas, nesse modelo, o fato que todos se influenciam mutuamente, qualquer flutuação local afeta a opinião majoritária do grupo. Assim, a polarização – inclinação representada nos gráficos que reflete a maioria das opiniões que o ator recebeu – amplifica esse efeito levando a uma situação de unanimidade. Ou seja, as redes sociais são máquinas de produzirem unanimidades em um curto espaço de tempo

Trecho retirado da aula

Novos rumos da parte prática

*Por Camilla Tsuji Oviedo Lopes

Na terça-feira (04/05), tive uma reunião com o orientador João Alexandre Peschanski e com a Erika Guetti Suca, a nova integrante da equipe de difusão, responsável pelas atividades de programação.

Como comentado anteriormente, a parte prática do meu projeto consiste em coletar e produzir conteúdo para uma página na internet, com o objetivo de organizar e difundir o conjunto de conteúdos sobre redes sociais realizado no contexto do CEPID NeuroMat.

Inicialmente, fiquei responsável por organizar um espaço para a comunicação para os alunos, pesquisadores e entusiastas de redes sociais. Porém, houve algumas alterações quanto a isso.

A partir desta semana, junto com a Erika, somos responsáveis por criar uma vitrine sobre a trajetória das pesquisas realizadas no NeuroMat após o artigo inicial “Infinite systems of interacting chains with memory of variable length—a stochastic model for biological neural nets”, escrito por Antonio Galves e Eva Löcherbach em 2013.

Compartilharei a trajetória do projeto aqui, no Traço de Ciência.

Do YouTube para o Facebook

* Por Fernanda Volchan

Como já foi dito em posts anteriores, a minha atual pesquisa teórica busca entender melhor as lives, analisando os vídeos da série Faísca, do Neuromat. Até então a pesquisa estava analisando os vídeos através da plataforma YouTube, porém, os vídeos do Faísca publicados no Facebook possuem, em média, um número maior de visualizações o que facilitaria a análise de dados.

Justifica-se, portanto, a mudança do foco de análise para a plataforma do Facebook. O foco da pesquisa continua o mesmo: explorar as características que influenciam no engajamento e no número de vizualizações em lives de comunicação científica.

Apresentação do curso na Wikiversidade

*Por Miréia Figueiredo

Nessa semana, gravei e editei um vídeo para integrar o curso de Introdução ao Jornalismo Científico na Wikiversidade. O vídeo, que será publicado na página inicial do curso, explica algumas diretrizes para a realização das atividades e também indica os módulos e os pesquisadores consultados para a elaboração das aulas.

Um dos pontos esclarecidos no vídeo é a importância dos estudantes estarem sempre logados durante a execução das tarefas e de se inscreverem no painel de controle de edições para acompanharem a própria evolução no curso. Além disso, foram apresentados os recursos multimídia que compõem cada uma das aulas: texto, quiz, vídeo/podcast.

Agora, o coordenador da equipe de difusão, João Alexandre Peschanski, e a assistente de comunicação, Thais May, devem assistir o vídeo e comentar sobre a qualidade da imagem, do áudio e do roteiro. A partir de então, saberei se posso publicar o material na plataforma Wikimedia Commons ou gravar uma segunda versão.

Mattermost e redes sociais: o espaço para compartilhar ideias

*Por Camilla Tsuji Oviedo Lopes

Como comentado anteriormente aqui, no Traço de Ciência, fiquei responsável por organizar um espaço para a comunicação de alunos, pesquisadores e entusiastas interessados em conteúdos sobre redes sociais realizado no contexto do CEPID NeuroMat.

Esta semana, em reunião dos alunos do curso de Estatística de Redes Sociais, oferecida por Antonio Galves, compartilhei o espaço criado no Mattermost. Este ambiente foi elaborado em conjunto com Carybé Silva, integrante da equipe de difusão, responsável pela área de tecnologia do CEPID NeuroMat.