O que dizer sobre revisão por pares?

*Por Miréia Figueiredo

Hoje, tive uma reunião com Fernando da Paixão para pensarmos o conteúdo da aula sobre revisão por pares do módulo 3. Ética da Ciência. Segundo Fernando, posso concentrar a questão central da aula na explicação da importância desse procedimento para a produção científica.

Nessa semana, também conversei com Claudia Vargas para elaborarmos a aula sobre protocolos éticos em pesquisas experimentais. Conhecer o trabalho dos comitês de ética das principais instituições de pesquisa foi um direcionamento recomendado.

Ao contrário dos outros módulos, nos quais os pesquisadores entrevistados cederam depoimentos específicos sobre as aulas, neste, tanto a participação de Fernando quanto a de Claudia foi mais no sentido de me orientar com possíveis tópicos a serem abordados. Assim, ainda terei que ler alguns materiais para conseguir desenvolver os textos.

Penso que esse será o módulo mais difícil de ser produzido. Não à toa foi escolhido para ser escrito por último. Caso enfrente muitas dificuldades ao longo do processo, posso fazer o que Claudia me sugeriu e entrevistar um pesquisador de alguma entidade parceira que tenha conhecimento aprofundado sobre o tema em questão.

Definindo alguns ajustes técnicos no curso da Wikiversidade

*Por Miréia Figueiredo

Hoje, tive uma reunião com Erika Guetti Suca, a nova integrante da equipe de difusão. Erika é doutoranda em Ciência da Computação e cuidará das atividades de programação, que antes eram atribuídas ao Éder Porto.

Nessa reunião, apresentei um panorama do curso Introdução ao Jornalismo Científico e indiquei quais são os ajustes técnicos que ainda faltam ser concluídos. Erika comentou não ter tanta familiaridade com a plataforma.

Apesar das tarefas parecerem simples – uma delas, por exemplo, consiste em alterar o nome de um dos boxes de informação – esse acabamento técnico exige certo conhecimento da Wikiversidade. Erika, então, terá uma reunião com Éder para que ele possa orientá-la nesse sentido e estudará o código do curso para que, enfim, possamos finalizar essa etapa do projeto.

Participar e colaborar: alguns dos pilares da Wikiversidade

*Miréia Figueiredo

Na quarta-feira (17/03), tive uma reunião com o orientador da equipe de difusão científica, João Alexandre Peschanski, para conversarmos sobre a escrita do artigo desse semestre. Como comentado anteriormente, estou pesquisando o uso de recursos multimídia pelos cursos da Wikiversidade, e como tais recursos podem potencializar a conexão com e entre os usuários.

Nesse encontro, eu e Peschanski organizamos um pouco da estrutura do artigo e alguns dos tópicos a serem abordados, como: a explicação do que é um curso MOOC e do que é a Wikiversidade. Também discutimos a escolha do termo “conectar” de acordo com a bibliografia. Em linhas gerais, o termo se relaciona com participação e colaboração, conceitos-chave para a pesquisa.

Terminada a leitura dos artigos de referência, partirei para a escrita da metodologia da pesquisa. Então, seguirei para sessão de análise empírica do artigo: 4 cursos da Wikiversidade, incluindo o curso de Introdução ao Jornalismo Científico desenvolvido pelo CEPID NeuroMat.

Metodologia e Filosofia da Ciência: avaliação do conteúdo

*Por Miréia Figueiredo

Hoje, tive uma reunião com Fernando da Paixão para que ele me contasse suas impressões sobre o módulo 1 do curso de Introdução ao Jornalismo Científico. O módulo intitulado Metodologia e Filosofia da Ciência foi dividido em 5 aulas: 1. Ciência e Filosofia; 2. Níveis de entendimento; 3. A metáfora científica; 4. Os elementos da metodologia científica e 5. Metodologia e comunicação.

Fernando participou ativamente da escrita do conteúdo da aula 1. Além dele, os pesquisadores Osame Kinouchi e Daniel Takahashi cederam entrevistas que contribuíram muito para elaboração desse módulo. O texto de Antônio Galves sobre o caso do físico Ludwig Boltzmann também foi aproveitado e João Peschanski foi uma fonte importante para a aula sobre metodologia e comunicação.

Como comentado por Fernanda Volchan nesse post, um vídeo sobre Boltzmann está sendo produzido. Ele também integrará esse módulo. No final da avaliação, Fernando sugeriu poucas alterações no texto das aulas.

Pseudociência e charlatanismo

*Por Miréia Figueiredo

Hoje, tive uma reunião com o professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e fundador do Coletivo Cético M. Faraday, Valério Melo. Pudemos conversar sobre práticas pseudocientíficas e charlatanismos que, em suma, deturpam a ética da ciência.

O objetivo da conversa foi conhecer e começar a articular alguns dos referenciais teóricos que vão basear a aula 4 do módulo 3. Ética da Ciência. Como comentado em um post anterior, essa aula irá abordar alguns dos deslizes da cobertura midiática sobre a ciência e também certos tipos de pensamento que contradizem radicalmente métodos e consensos da comunidade científica. Talvez o mais bizarro deles seja a teoria da Terra Plana, mas há também muitos outros que pretendo citar na aula.

Acredito que os tópicos que devem integrar esse conteúdo são: as Normas de Merton, a “equação da pseudociência”, a autoridade da ciência e as origens do negacionismo científico. Além de, claro, a ética do jornalista ao cobrir pautas científicas.